© 2012 3C Arquitetura e Urbanismo. All rights reserved.

048_H2

PLANTA DE HIDROGÊNIO

Pavilhão metálico para abrigar a planta de produção de Hidrogênio
Fundação Parque Tecnológico de Itaipu / Itaipu Binacional
Foz do Iguaçu, PR
Projeto – 2012
Execução – 2013
Custo estimado: R$ 1.500.000,00 – obra civil e tratamento do entorno imediato
Área de intervenção: 4.000,00 m²
Área construída: 300,00 m²

OBJETIVOS

Elaboração de implantação geral e projeto executivo de arquitetura do pavilhão que abrigará a planta de produção de Hidrogênio do PTI/Itaipu. Busca basicamente a proposição de um espaço prático, funcional e, acima de tudo, que se adéqüe a um cronograma reduzido para implementação e aos recursos disponíveis para a execução do prédio e das intervenções necessárias no seu entorno imediato.

Proposição de linguagem de caráter industrial, com requisitos específicos para disposição de equipamentos, sistema de exaustão, armazenamento de Hidrogênio, fluxo de veículos e instalações de infra-estrutura.

A proposta inclui o Estudo Preliminar dos projetos complementares de instalações e estruturais.

PROPOSTA

Compositivamente o prédio apresenta solução extremamente simples, configurando-se em um volume retangular único com adição de uma cobertura para acesso. O foco principal do projeto se concentra na funcionalidade da distribuição de espaços e atendimento à demanda de infra-estrutura exigida pelo programa, além da praticidade nos acessos e fluxos, tanto de veículos, como de usuários.

O espaço interno é dividido em dois grandes espaços: área de produção, onde ficam dispostos os grandes equipamentos, e a área de operação, local de maior permanência dos usuários e que conta com estações de trabalho, espaço pra reuniões, copa e sanitários.

O espaço externo conta com vias de acesso específicas para veículos e pedestres, estacionamento, área de manobra para que veículos de grande porte possam acessar o pavilhão, espaço coberto/aberto para acesso dos usuários e abastecimento de veículos, além de locais para disposição de transformador e de tanques e cilindros de gás.

O sistema construtivo proposto, tanto para estrutura como para fechamentos externos, é o metálico. Tal decisão é fundamentada principalmente na agilidade e economia que este sistema possibilita conferir às construções. Internamente as divisórias propostas são de dry-wall, seguindo a mesma linha da racionalidade do processo construtivo.

Por haver previsão de climatização mecânica somente na área de operação, optou-se por revestir o prédio com telhas termo-acústicas, utilizadas tantos nos fechamentos como na cobertura. A área de produção contará ainda com telhas translúcidas na cobertura, diminuindo o uso de iluminação artificial e exaustores eólicos que auxiliarão na ventilação natural do espaço, auxiliando no conforto térmico e prevenindo que haja acúmulo de Hidrogênio caso ocorra algum vazamento. Já a área de operação, local de maior permanência, conta com as seguintes estratégias para oferecer conforto aos usuários: disposição junto à fachada Sul e aberturas somente para esta orientação, evitando ganhos consideráveis de calor, diminuindo assim o uso de aparelhos de ar condicionado; possibilidade de criação de parede dupla para proteção solar na fachada Norte, ao manter aberto o portão de acesso à área de produção na parte da manhã, evitando também aquecimento do local por radiação solar; integração direta, tanto visual como física, com a área de produção.

Vista externa da edificação concluída.
Vista externa da edificação concluída.
Planta de Situação
Planta de Situação
Implantação da edificação
Implantação da edificação

 

 

Fachada da edificação.
Fachada da edificação.
Corte da edificação
Corte da edificação

EQUIPE DE PROJETO

Autores:

Arq. Leonardo Damiani Poletti

Arq. Tiago Holzmann da Silva