© 2014 3C Arquitetura e Urbanismo. All rights reserved.

060_PDC

PLANO CICLOVIÁRIO DE CANOAS

Plano Diretor Cicloviário do Município de Canoas
Canoas – RS
Plano Urbano –  2014
Área de abrangência do plano: 131,1 km²
População diretamente beneficiada: 323.827 habitantes

OBJETIVOS

O Plano Diretor Cicloviário foi desenvolvido ao longo de 2014, concluído, votado e aprovado por unanimidade em julho de 2015. O objetivo principal do Plano foi promover a mobilidade através das bicicletas de forma segura e confortável, efetivando-as como um vetor de acessibilidade e mobilidade urbana.
O Plano Cicloviário, como ficou conhecido, estabelece uma malha cicloviária abrangente e conectada, além de incluir equipamentos de apoio e políticas públicas para enfrentar a violência do trânsito e promover a bicicleta como um modo de transporte integrado com os demais modais, como o Trensurb e ônibus urbanos e metropolitanos.

PROPOSTA

Durante as etapas de pesquisa e diagnóstico, se constatou que as bicicletas já são utilizadas por grande parte da população nos bairros populares e mesmo em trajetos que atravessam a cidade. Estes usuários, muitos deles com uso diário, encontram na bicicleta uma alternativa com custo baixo e grande autonomia, realizando importante número de viagens ao trabalho ou estudo

Apesar disso, a infraestrutura das vias não garante a segurança nos deslocamentos, expondo os ciclistas, mesmo em vias com prática de alta velocidade, a conviver com fluxos intensos de veículos de passeio, caminhões de carga e ônibus. Além disso, se apresentam pontos críticos nos cruzamentos da BR-116 e leito do trem metropolitano, que dificultam o acesso a empregos e serviços de forma mais grave para ciclistas.

A partir desta situação presente, o Plano estrutura a construção da Rede Estrutural, com três níveis de prioridade, além da Rede Alimentadora. Também inclui a definição de tipologias, articuladas com o sistema viário atual e aquele previsto no Plano Diretor, assim como diretrizes de resolução de conflitos potenciais, de modo a resolver gargalos, atender à demanda e prevenir acidentes. Estabelece também três linhas estratégicas com medidas de curto, médio e longo prazos, para políticas públicas das seguintes áreas:

  1. Infraestrutura: organiza a implantação da estrutura física da rede cicloviária composta por ciclofaixas, ciclovias e vias compartilhadas, além de estratégia de implantação, definida com apoio na participação direta da população, além dos ténicos municipais e dos consultores;
  2. Gestão: determina a estrutura política para executar, monitorar e gerir as ações previstas no Plano, incluido estrutura de gestão, financiamento, instrumentos para intermodalidade e para participação direta;
  3. Promoção: define instrumentos para capacitação de motoristas, divulgação e estímulo do modal cicloviário e programas para a conscientização dos motoristas e ciclistas no trânsito.

As diretrizes propostas e as normas definidas visam permitir que a cidade efetive projetos para incluir a infraestrutura cicloviária em suas vias, assim como fomentar a necessária integração com os trens metropolitanos, incluindo de modo integral as bicicletas como modal de transporte metropolitano.

Participação da comunidade em Seminário
Participação da comunidade no 2º Seminário Cicloviário de Canoas.
Oficina Participativa
Oficina Participativa
Imagem local do cruzamento entre a Av. Boqueirão com a Av. Antônio J. Renner
Imagem do cruzamento entre a Av. Boqueirão com a Av. Antônio J. Renner
Proposta de intervenção no cruzamento da Av. Boqueirão com a Av. Antônio J. Renner
Simulação da proposta para p cruzamento da Av. Boqueirão com a Av. Antônio J. Renner. Uma ciclofaixa segregada para cada sentido, com sinalização vertical e horizontal, além de recuo para pedestres junto a faixa de segurança.
060_PDC_08_infografico
Infográfico de divulgação dos dados levantados nas pesquisas do Plano.

VISUALIZAR CADERNO

VÍDEO DOS EVENTOS PARTICIPATIVOS

EQUIPE DE PROJETO

Autores:
Arq. Tiago Holzmann da Silva
Arq. Alexandre Pereira Santos
Arq. Leonardo Damiani Poletti
Arq. Leonardo Marques Hortencio

Colaboradores:
Arq. Angélica Magrini Rigo
Arq. Aline Beatriz Cervo
Acad. arq. Guilherme Iablonovski
Acad. arq. Paula Bellé
Acad. arq. Paulo Carvalho
Acad. arq. Pedro Terra
Acad. arq. Sheila Magnani

Consultores:
Soc. Eliete Gomes
Arq. Ricardo Corrêa
Arq. EmÍlio Merino
Eng. Flavia Manica
Arq. Pedro Araújo
Arq. Rogério Malinsky
Adv. Ricardo Libel Waldman